O QUE SÃO OS ASPECTOS?

Vanessa Chrystina R. Tuleski  em 10 de novembro de 1998.

 

O que é aspecto?

Quem começa a se informar sobre astrologia logo ouve a expressão 'aspecto'. Um planeta 'em aspecto' com o outro. O que é aspecto?

O aspecto é sempre um ângulo. Os principais ângulos na astrologia são os de 0, 60, 90, 120, 150 e 180 graus. Estes seriam os 'aspectos principais'. Há outros ângulos e alguns astrólogos se especializam em estudarem estes 'ângulos menores', como, por exemplo, os de 45, 72, 135, 144, entre outros. Os 'ângulos menores' podem ser bem numerosos e não são tão visíveis quanto os ângulos maiores.

Abaixo, vamos estudar o funcionamento de cada um dos ângulos maiores.

 

O ângulo de zero graus - Conjunção

A conjunção é o aspecto mais poderoso na astrologia. Quando dois planetas estão conjuntos, as energias simbolizadas planetas são indissociáveis e trabalham sempre juntas. Há uma mútua influência de um planeta sobre o outro. Assim, se uma pessoa tem uma conjunção Mercúrio/Marte, o planeta da comunicação e o da energia estão interligados, o que significa que tanto ela irá se comunicar (Mercúrio) de um modo vigoroso e direto (Marte) como ela terá um tipo de energia (Marte) bastante inquieta (Mercúrio)! Como tudo em astrologia passa por nuances e pela visão do conjunto todo, esta conjunção atua de um modo diferente dependendo do signo em que está. Assim, se ela está em Câncer, esta pessoa, paralelo a este modo de falar mais impulsivo, também teria uma característica mais emocional. Se esta conjunção está no signo de Virgem, esta pessoa teria um modo crítico (Virgem) mais contundente (Marte) de se comunicar.

A conjunção é considerada um 'aspecto neutro' para a pessoa que o tem. Por quê? Porque ela só conhece o modo conjunto daquelas duas energias atuarem, de modo como encara este modo conjunto como natural ou 'neutro'. Para ela, é natural que aquelas duas energias estejam sempre juntas.

Algumas pessoas não tem apenas dois planetas conjuntos em um signo. Podem ter três ou mais, o que indica uma maneira muito evidente daquele signo se manifestar. Por vezes, tão poderosa que pode definir uma vocação ou um traço muito marcante. Por exemplo, uma pessoa que tenha uma tripla conjunção em Capricórnio pode ter um desejo de se sair bem profissionalmente muito pronunciado, assim como pode ser uma pessoa esforçada e batalhadora para conquistar isto.

Até quantos graus separando um planeta de outro é considerado uma conjunção? Com todos os aspectos ocorre o seguinte: quanto mais 'exato' um aspecto, mas atuante ele é. Mas a conjunção admite uma 'orbe' (separação) de até dez graus.

IMAGEM ASSOCIADA: A de dois (ou mais) gêmeos univitelinos.

 

O ângulo de 60 graus - Sextil

O sextil ocorre entre planetas nos signos da Água e Terra e entre planetas nos signos do Ar e do Fogo. O que os signos da Água e da Terra tem em comum? Uma maneira 'Ying' de ver o mundo, ou seja, uma ênfase no mundo interno. Á Água porque se concentra em seus sentimentos e a Terra porque busca segurança. E o que os signos do Ar e do Fogo tem em comum? Uma maneira 'Yang' de ver o mundo, com uma ênfase no mundo externo. O Ar precisa de informação e contato e o Fogo precisa projetar seus desejos e aspirações.

Assim, quando dois planetas estão em sextil isto é sentido, pela pessoa, como algo 'harmonioso', já que um planeta parece 'colaborar' com o propósito do outro. Por exemplo, um Sol em Câncer precisa de laços emocionais significativos. Se a Lua está em Touro, esta pessoa forma laços emocionais duradouros, que beneficiam a necessidade de seu Sol de obter sentimento de suas ligações emocionais. Outro exemplo: uma pessoa com Júpiter em Sagitário e Lua em Aquário. A necessidade de expansão de Júpiter não encontrará resistência na natureza aberta a mudanças da Lua aquariana.

Qual é a orbe permitida no caso do sextil? No máximo cinco graus de cada lado. Assim, um planeta a 10 graus de Touro está em sextil com um que esteja a 15 graus de Peixes, mas já não estaria mais em sextil se este planeta estivesse a 19 graus de Peixes.

IMAGEM ASSOCIADA: A de dois amigos que embora diferentes se dão bem!

 

O ângulo de 90 graus - Quadratura

A quadratura ocorre entre planetas que distam 90 graus um do outro, com tolerância de cerca de 10 graus para cada lado (ou seja, podem distar na realidade 80 ou 110 graus).  Qual é a peculiaridade da quadratura? Ela só ocorre entre signos que pertencem ao mesmo 'modo' de energia. No artigo sobre energias foi identificado três grandes grupos: os signos Cardinais, os signos Fixos e os signos Mutáveis. Tomemos como exemplo os signos Cardinais: Áries está em quadratura com Câncer, que está em quadratura com Libra, que está em quadratura com Capricórnio, e este último está em quadratura com Áries!

O ângulo de noventa graus é sentido pela pessoa como 'tensão'. São dois planetas colocados em signos que expressam uma energia básica (Cardinal, Fixa ou Mutável) de um modo muito diferente. Assim, por exemplo, a pessoa com Marte em Áries e Sol em Capricórnio tem 'em disputa' os princípios da energia (Marte) e da essência pessoal (Sol). Em essência, ela é uma pessoa que tem necessidade de cautela e planejamento (Sol em Capricórnio), mas ela expressa sua energia de um modo impulsivo (Marte em Áries).

Apesar de provocar tensão a quadratura não é um 'aspecto mau', conforme será explicado no final deste artigo. Mas, de todos os aspectos, ela é o que causa maior tensão, visto que é necessário empenho para integrar as energias que estão em disputa.

IMAGEM ASSOCIADA: A de dois combatentes, cada um procurando obter a melhor posição.

 

O ângulo de 120 graus - Trígono

O ângulo de 120 graus só ocorre entre planetas em signos do mesmo elemento. A órbita permitida é cerca de 7 graus para cada lado, podendo ser alongada para 10 graus se a Lua estiver envolvida. O ângulo de 120 graus é considerado o mais harmonioso de todos para uma pessoa, porque há uma colaboração e entendimento básico entre dois planetas em signos de mesmo elemento. Assim, um Sol em Virgem em trígono com Marte em Capricórnio irá 'somar' a natural busca de eficiência de Virgem com uma maneira muito organizada e controlada de fazer as coisas, de Marte em Capricórnio.

Apesar de ser um ângulo 'fácil' para quem o tem, isto não significa que uma pessoa fará um bom uso de um trígono, já que ela pode usar a facilidade para, por exemplo, enganar outra pessoa ou para se acomodar.

IMAGEM ASSOCIADA: A de duas pessoas que tem grande harmonia (e muita semelhança) entre si.

 

O ângulo de 150 graus - Quincunce

O quincunce é um ângulo muito interessante porque liga dois planetas que estão em signos que não tem nada em comum. Assim, Virgem é Yin, Terra e Mutável e Aquário é Yang, Ar e Fixo. O que os liga? Nada. O quincunce indica a necessidade de ter de 'ajustar' dois estranhos. Assim, por exemplo, uma pessoa com Sol em Câncer e Lua em Aquário teria, ao mesmo tempo, uma necessidade básica de obter afeto e proteger/ser protegido, mas com a Lua em Aquário ela precisa de certa dose de independência ou sentir que está sendo autêntica. Isto exigirá desta pessoa saber em qual momento em que ela deve dar vazão a sua necessidade de ligação e proteção (Sol em Câncer) e qual é o momento em que precisa se afastar (Lua em Aquário) para dar vazão ao lado menos previsível de suas emoções.

O quincunce não é uma 'tensão aberta'. É como um mosquito: não 'mata', mas incomoda. Há momentos em que o quincunce age de modo desarmônico e há momentos em que tudo funciona bem. É um aspecto variável e oscilante, que exige 'trabalho' para ser mantido e atendido!

O órbe permitida é de cerca de 5 graus.

IMAGEM ASSOCIADA: A de dois estrangeiros tentando se entender em idiomas diferentes.

 

O ângulo de 180 graus - Oposição

A oposição ocorre entre signos que pertencem a mesma energia, mas que vão em direções opostas: Áries e Libra, Touro e Escorpião, Gêmeos e Sagitário, Câncer e Capricórnio, Leão e Aquário, Virgem e Libra. A oposição causa tensão, mas, ao mesmo tempo, pode levar a momentos em que as duas energias são atendidas. A tensão da oposição é o desejo de atender impulsos opostos. Assim, por exemplo, o Sol em Leão simboliza o desejo de reconhecimento e de exercer sua personalidade. Mas se está oposto ao Ascendente em Aquário esta pessoa se apresenta de um modo menos centrado e tem necessidade de se relacionar em grupo. Entretanto, com o Sol em Leão ela continuará desejando exercer sua personalidade, mas o Ascendente em Aquário fará com que haja momentos em que ela se veja buscando os interesses de um grupo e não de si própria. A oposição é sentida, portanto, como uma grande divisão interna. Mas ela não é 'má', já que podemos entender melhor as outras pessoas quando nós mesmos reconhecemos nossas contradições.

IMAGEM ASSOCIADA: Um cabo, sendo puxado para um lado e para outro, pode estar em equilíbrio ou 'ceder' mais para um lado.

 

As formações planetárias

O que ocorre quando três planetas estão em trígono, cada um em um signo? Eles fecham um triângulo, certo? É o chamado 'Grande Trígono', que simboliza o poderoso e harmonioso funcionamento de três energias. Mas funciona sozinho? Isto é, quem tem um Grande Trígono teria 'sorte' na vida? Não. Esta pessoa teria facilidade em lidar com as três energias em questão e em particular com o elemento em que elas estão, mas na astrologia não existe nada que não dependa da vontade de uma pessoa, e há pessoa com Grandes Trígonos que podem ser tremendamente infelizes.

Outra formação é quando um T ou uma Cruz são formados. O T seria uma oposição e os dois planetas da oposição em quadratura com o terceiro. E a cruz seriam duas oposições, cada uma mantendo noventa graus entre si. Tanto o 'T' como as oposições demandam muita energia. Simbolizam conflitos. Porém, mais uma vez, fica a pergunta: tornam as pessoas mais infelizes? Novamente, a resposta é negativa, pois tudo irá depender do uso que estas pessoas fizerem desta configuração e de seu interesse em compreender as energias envolvidas.

Há muitas formações planetárias e mais um exemplo delas é o Yode. O Yode é um planeta que faz quincunce com um planeta em um signo e com outro planeta em outro signo, sendo que entre estes dois planetas há um sextil. O Yode demanda mais ajustes que o quincunce isolado e o planeta que está 'na ponta' do iode tem de ser compreendido.

 

Os aspectos são relativos

Quando um astrólogo se depara com uma quadratura ele sabe que houve algum tipo de conflito pelas energias simbolizadas. Mas ele não pode saber O QUE a pessoa faz para resolver aquele conflito e se ela o utiliza criativamente ou não. Da mesma maneira, ao se deparar com trígonos e sextis o astrólogo sabe que as energias em questão convivem harmoniosamente para a pessoa, mas O QUE ela faz com esta harmonia? Isto ele não pode saber.

Outra coisa curiosa é que algumas vezes a pessoa está ciente de seus conflitos e outras vezes, não. Por exemplo, em se tratando de oposições, um aspecto que cria uma divisão interna, é comum que a pessoa se identifique com um lado da oposição e diga que os 'outros' façam o outro lado. Não será ela mesma que estaria oferecendo um 'gancho' para que as outras pessoas simbolizassem o outro lado? Por exemplo, se uma pessoa se envolve continuamente com alguém que não quer se comprometer, não seria ela mesma que não deseja se comprometer, embora garanta que não?

Existem, sim, mapas astrais em que há um emaranhado de aspectos tensos e poucos aspectos fluentes e existem cartas que parecem mais 'tranqüilas'. Porém, a primeira pessoa não será 'infeliz', ela apenas tem mais coisas para resolver. E nem a outra pessoa é 'feliz', porque ela pode esbarrar no menor obstáculo.

Portanto, nós escolhemos COMO viver os aspectos. Por exemplo, muitas astrólogos tentam fazer estudos sobre mapas de homossexuais (ou outro grupo qualquer) e podem encontrar elementos em comum. Porém, mesmo encontrando estes mesmos elementos (signos que se repetem, aspectos que se repetem) em uma carta natal é virtualmente impossível dizer que esta pessoa PERTENCE àquele grupo, porque ela pode fazer o uso que quiser de seus aspectos.

Um bom exemplo disso está ligado ao planeta Saturno, em associação com outros planetas. Está sendo citada esta associação porque é muito comum que seja interpretada apenas pelo lado negativo quando envolvida em conjunções, quadraturas ou oposições. Por exemplo, uma pessoa que nasça com um aspecto Sol/Saturno cobra muito de si mesma. Mas ela pode ser deprimida e retraída, sempre carregando culpas, ou pode ser uma pessoa que se empenhe em realizar coisas (Saturno) e que precise disso para expressar sua identidade (Sol). Outro exemplo é a conjunção Vênus/Saturno, freqüentemente descrita como pertencente a uma 'pessoa fria e que nunca se entrega'. Várias pessoas com a conjunção Vênus/Saturno são capazes de uma entrega profunda. O que as difere das outras? Encaram o amor muito a sério e podem ser seletivas, mas uma vez que encontrem o que procuravam, podem trabalhar (Saturno) pelo relacionamento (Vênus)!

Causa-se um grande mal ao 'taxar' os aspectos. É preciso enxergar os aspectos em todos os seus potenciais. Por exemplo, os aspectos fluentes podem funcionar de um modo bem maléfico. Uma pessoa com um Grande Trígono em signos da Terra pode expressar a Terra em seu pior aspecto: o apego excessivo a matéria. Assim, embora a quadratura e a oposição simbolizem tensões internas quem disse que as tensões internas são ruins? Muitas vezes, mobilizam muita energia e necessidade de trabalhar por algo, de melhorar, que pode não haver em um aspecto fluente.

Inclusive, há algo curioso: nós não podemos modificar o fato de a Lua fazer aspecto com Marte, mas podemos sempre modificar a 'expressão' que este aspecto terá. Assim, esta pessoa pode ser explosiva e irritável tanto quanto pode ter necessidade de gastar energia (Marte) para aliviar tensões emocionais ou expressar emoções (Lua). Quando o astrólogo percebe que uma pessoa está fazendo um mau uso de um contato entre um planeta com outro ele pode sugerir novas expressões e falar dessa possibilidade com o cliente.

Para finalizar este assunto, é bom lembrar que cada mapa é um universo. Assim, um planeta que participe de uma oposição faz também um trígono. Ou uma pessoa pode não ter nenhuma oposição no mapa, e isto é uma informação a mais. Tudo é analisado em separado e em conjunto na interpretação astrológica.

O estudo dos aspectos é algo muito dinâmico, que exige uma postura aberta. Os aspectos são a 'música' contida no mapa. Algumas vezes soam como óperas dramáticas, outras horas são sambas zombeteiros e também podem músicas suaves. E todos essas 'músicas' podem estar dentro de uma só pessoa! É por isto que as pessoas podem ter seu lado meigo, seu lado duro, seu lado crédulo, seu lado cético, porque abrigam muitas personalidades dentro de si e boa parte destas personalidades está contida nos aspectos de seu mapa!